segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Os hits das coleções internacionais de menswear do Inverno 2017

















TENDÊNCIAS DO INVERNO 2017 MASCULINO INTERNACIONAL: ANN DEMEULEMEESTER (70S), RAF SIMONS (OVERSIZE), 
ÉTUDES STUDIO (MILITAR), GUCCI (PIJAMA), GIVENCHY (BOMBER JACKET) E KENZO (TRACKSUIT)
A moda masculina muda pouco, e de maneira bem mais lenta do que a feminina, diz o senso comum. As fontes de referência também são menores e passeiam basicamente entre alfaiataria, sportswear, militar, dandismo (vindo da alfaiataria), punk, rock. As mudanças acontecem aos poucos, mas acontecem. Vão misturando de maneira nova clássicas e nem tão clássicas inspirações, abrindo horizontes para uma gama mais democrática de estilos, propondo ainda a silhueta mais ajustada na alfaiataria, mas apostando também em silhuetas oversize e em detalhes decorativistas, tecidos vindos do guarda-roupa feminino, duas peças combinadas em conjuntos tipo pijama – esta última uma das propostas mais frescas das coleções do Inverno 2017 para o Hemisfério Norte.
Veja, a seguir, as principais tendências da temporada de menswear que acaba de ser desfilada em Milão, Londres, Paris e Nova York.
Big shapes
O super longo, o oversized e o ultravolumoso renderam as melhores peças da estação e parecem ser a melhor maneira – a mais fashion ao menos – de se manter quente no inverno. Casacos enormes de pele que ainda remetem a Game of Thrones ou até a pele gigante de Leonardo di Caprio no premiado “The Revenant”, comprimentos bem abaixo dos joelhos ou cardigans e pullovers com mangas e barras hiper longas fizeram um contraponto ao guarda-roupa masculine clássico.
Quem fez: Raf Simons, Coach, Dolce & Gabbana, Fendi, Rick Owens, JW Anderson, Études, Off White, Margiela, Fendi.
Militar
O militar vai além do camuflado e inspira-se também nos militares de alto escalão e seus longos casacos cheios de patentes e na Guerra ao terrorismo. Um dos momentos mais fortes desta tendência aparece no desfile da Moncler, que tem todos os seus looks feitos do mesmo camuflado de cinza, azul e vermelho, de forma que temos a sensação que estamos vendo a mesma peça o desfile inteiro. O militar também adquire ares mais cool e urbanos em parkas com hoodies e jaquetas esportivas.
Quem fez: Etudes, Dries Van Noten, Moncler Gamme Bleu, Thom Browne, Off White, Craig Green, Public School
Puffer jackets
Uma das peças mais vistas nas ruas em invernos rigorosos são as as puffer jackets, originalmente criadas nos anos 30 com o nome de The Skyliner para alpinistas conseguirem enfrentar as baixas temperaturas em expedições. Normalmente produzidas com penugens ou penas de ganso (isolantes térmicos), tem uma tecnologia que armazena o calor igualmente por toda a peça (por isso os gominhos). Hoje, elas são encontradas em qualquer loja de roupa, mas é na passarela onde viram statement coats e ganham novos ares. A Burberry fez uma que parecia de couro, a Calvin Klein apostou em um material metalizado e Raf Simons criou sua versão oversized.
Quem fez: Raf Simons, Calvin Klein, Burberry, Diesel Black Gold, Dior
Xadrez
É no inverno que o xadrez reina e desta vez não foi diferente. Nove de 10 marcas tiveram looks com alguma padronagem em xadrez, seja em tartan, príncipe de Gales ou buffalo check. Ele aparece em trench-coats, malhas, cashemere, jaquetas, ternos e camisas em cores e propostas diversas. Muito interessante ver como um ícone do vestuário masculine pode se desdobrar de formas tão interessantes e diferentes umas das outras.
Quem fez: Bottega Veneta, Valentino, Raf Simons, Prada, Fendi, Dior, Gucci, Burberry, Emporio Armani, Lou Dalton
Anos 70
A década que celebrou o paz e amor, mas também viu surgir glamourosos roqueiros rebeldes continua em alta. Lenços finos e esvoaçantes, calça flare e uma atitude que transita entre o hippie e o glam construíram uma interpretação moderna da década.
Quem fez: Gucci, Cavalli, Topman, Valentino, Ann Demeulemeester, Christian Dada
PijamaA lingerie usada como roupa, mais do que tendência, já virou moda no prêt-à-porter feminino. Os conjuntos tipo pijama, para mulheres, já apareceram em outras temporadas e ganharam o reforço da proposta do sleepwear urbano com os deliciosos slip dresses de seda desfilados na última semana de moda internacional, para o Verão 2016. Agora, chegou a vez dos homens usarem pijama na rua. Impulsionada pela nova guinada retrô de Alessandro Michele, que aposta em looks tipo conjunto, na estética comfort geek de luxo, tipo Excêntricos Tenenbaums, chegar ao pijama é um caminho curto. Em versões com tecidos sofisticados, incluindo a própria e clássica seda do sleepwear, estampas e cores bem escolhidas, a tendência exige personalidade mas tem tudo para pegar. Pense no conforto, na praticidade de não ter que pensar em combinação de calça e blusa: afinal, é um conjunto pronto. As interpretações dos robes também entram nesse pacote que inclui uma nova referência às tão poucas usadas pelo menswear (militar, alfaitaria e esporte, basicamente), em grifes como a própria Gucci, Kenzo, Fendi e Roberto Cavalli.
Tracksuit
Ele vem do esporte, já teve muitas releituras que o redimiu como look de senhores de idade prontos para fazer um jogging matinal. Basta lembrar da moda propagada pelo hip hop nos anos 80. Nessa temporada, porém, 0 tracksuit –  o agasalho esportivo com zíper usado para correr – ganha mais uma injeção de design de moda com peças que podem ser usadas até em festas, graças aos materiais nobres e à roupagem supercool dada por detalhes de design e estamparia. O modelo vermelho da Burberry é o melhor exemplo do tracksuit sofisticado. Já a Gucci aposta nos bordados e no veludo molhado numa proposta mais decorativista.
MetalizadosA mesma estratégia usada na moda feminina ganha força na masculina no próximo Inverno 2017 do Hemisfério Norte: usar o metalizado para injetar glamour em looks com pegada casual e/ou esportiva. Uma maneira simples e certeira de potencializar o guarda roupa com uma camiseta com mescla dourada, uma boa jaqueta prata tipo astronauta moderno ou uma calça metalizada para ser usada com uma camiseta bem básica e um tênis. Garantia de sucesso vista às vezes em looks totais (mas é só desmembrar) em marcas como Calvin Klein, Versace, Dsquared, Emporio Armani e JW Anderson. 
Bomber jackets
As jaquetas bomber são um clássico. Vindas da aviação, criadas no começo do século 20 para o exército da aeronáutica norte-americana, as flyng jackets, estufadas, geralmente com elástico na cintura e nos punhos, fechadas com zíper para não o vento frio não entrar e depois batizadas de bomber, voltam a ser peça-chave do guarda-roupa masculino nesta temporada. Elas fazem ótimo par com calças de alfaitaria ou mesmo usadas por cima de costumes, como na Givenchy, uma maneira muito atual de dar um ar despretensioso e rebelde à elegância da roupa social. Louis Vuitton, Diesel, Margiela e Burberry, entre outras muitas grifes fizeram suas versões da bomber, de maneira mais tradicional e bem-acabada ou com detalhes bordados e estampas.

FFW - Camila Yahn e Carolina Vasone