quinta-feira, 7 de abril de 2016

A marca H&M estende sua política de salários justos

H&M, a gigante sueca do fast-fashion, afirma que sua estratégia de remuneração justa pelo trabalho está avançando de acordo com o que era previsto.

Foto: H&M

A varejista continua a aplicar o método dos salários justos implantado pela Rede (independente) dos Salários Justos e aumentou o número de espaços de fabricação envolvidos. Na realidade, 68 fábricas a mais se beneficiaram desta política em 2015 e 78 outras em 2016. Daqui para o fim do ano, o método dos salários justos cobrirá as fábricas no Bangladesh, Camboja, na Indonésia, Índia, China e na Turquia.

O objetivo consiste na implantação de estruturas capazes de pagar salários justos e de melhorar o diálogo entre os empregadores e os empregados da fábrica.

H&M declarou também que mais de 40% das fábricas, que produzem para a marca no Bangladesh, estão agora cobertas por seu programa de diálogo social H & M, que favorece a criação de comitês de empresas democraticamente eleitos e eficazes nas fábricas.

Além disso, a H&M declarou que sua parceria com a OIT no projeto de relações industriais "resultou em mudanças positivas nas atitudes, bem como em reuniões regulares entre a direção e os sindicatos nas fábricas participantes no Camboja". Recentemente, a H&M lançou o projeto na Etiópia e a Birmânia será o próximo passo.

O método dos salários justos será implantado em todos os fornecedores estratégicos da H&M em 2018.



Copyright © 2016 FashionMag.com. Todos os direitos reservados.